Bianca Barbato

Tudo o que ela aprendeu foi colocando a mão na massa, desenvolvendo seus protótipos por conta própria, aprendendo com seus erros e acertos. A carreira vem fluindo assim, de maneira espontânea, como a vida, e é bom que seja assim. Afinal, para Bianca Barbato experimentar faz parte. Paulistana e auto-didata, fundou seu estúdio de criação em 2007 no Rio de Janeiro, onde morou por 7 anos. Antes disso, trabalhava com cinema. Em 2009, voltou para São Paulo e desde então não parou mais de produzir peças únicas ou seriadas, se envolvendo em todas as etapas do sistema: da criação à venda. Decorre daí o desenho fresco e inquieto, que nasce do contato direto com os materiais com os quais ela se identifica. No mais, Bianca procura criar móveis para hoje, mas sem deixar de remexer o baú de memórias. Talvez por isso, suas peças despertem tanta nostalgia. Além do desejo de se ter por perto.

Encontrar um justo equilíbrio entre o geometrismo acentuado de seu traçado e a suavidade nostálgica sugerida pelo trançado de cordas náuticas é o aspecto que mais se destaca na linha de móveis Parquet, criados por Bianca Barbato para a Breton. Trata-se de uma família completa de produtos – sofá, poltrona, chaise e mesa – que atende bem a uma principais das exigências da arquitetura de interiores de hoje: a possibilidade de transitar com liberdade por espaços internos, externos ou em transição.

Texto por Marcelo Lima (Jornalista e Crítico de Design).